quinta-feira, 13 de Maio de 2010

Recilagem e Ambientalismo no Parlamento

Sinceramente, apetecia-me ajudar o Parlamento Português a tornar-se mais amigo do ambiente.
Trocava as cadeiras todas dos deputados por sanitas, para promover a reciclagem.
Depois, colocava um cartãozinho na mesa em frente de cada lugar onde se lia:
"Agradecemos que depois de ter as suas respectivas ideias, puxe o autoclismo. O ambiente agradece, o povo agradece, o país agradece."
Afinal de contas, pagamos os erros de todos os políticos (e não só dos ministros das finanças) desde 74.
As suas belas ideias e noções de governação que demonstraram apenas governar os seus interesses privados de cada um que por lá passou. Ideias essas, cujo fim devia ter sido um qualquer cano de esgoto, amavelmente empurradas pela eficiente descarga dos autoclismos previamente instalados.
Eles fizeram a borrada, e no fim de contas, quem paga?
A escumalha da plebe, claro!
Eles vão deixar de andar nos seus BMW's, Mercedes, Audi's, etc, para ajudar o país? Vão troca-los por Fiat Puntos com motor Diesel, para não gastarem tanto dinheiro em combustível?
Claro que não!
É mais fácil meter a mão no bolso de 10 milhões.
Tanta coisa que se podia fazer neste país para poupar dinheiro e fomentar o tão necessário investimento...
Mas não... Como diz o Anaquim (deve ter convivido com um político, porque nunca vi a letra assentar tão bem nessa classe de feudais):
"As vidas dos outros, nunca me soam mal.
Vêem problemas, no que no fundo é normal."
Afinal de contas, que custa pedir mais impostos ao já apertado e endividado povo?
Vai-se o povo, mas ficam os carrões e os altos cargos dos barões.
Se for preciso, penhora-se: ou dão a bem, ou dão a mal!
Estranho, as cadeias andam cheias de muitos que fizeram o mesmo (ou dás a bem, ou dás a mal). A burrice deles, foi não o terem feito à grande, como os políticos!
Para eles andarem de Armani, ando eu de ténis.
Sinceramente, nem queria saber se fossem de calções e havaianas, ou até mesmo nus (já que teoricamente, a crise ataca a todos) para o parlamento, desde que governassem direito.

quinta-feira, 6 de Maio de 2010

Ajudar a Grécia?!

Porque raio havia eu de querer ajudar a Grécia?
Porque havia eu de querer ajudar, quem claramente não se quer ajudar a si próprio?
Já foi bastante mau terem eleito os governos responsáveis pela sua situação económica, ainda protestam por terem de apertar o cinto e pedir ajuda ao estrangeiro, fazendo greves e matando até pessoas...
Além do mais, se eu contribuir com o meu subsidio de férias, ficam-me saldadas as dívidas de IRS e IMI ao Estado Português, bem como qualquer outra dívida estatal?
E os políticos, abdicam dos respectivos subsídios ou até mesmo de um mês de ordenado?
E os partidos, pegam nos milhões que roubam descaradamente ao estado, ajudam a resolver a crise?
Pois... portanto, chamem-me egoísta, mas as minhas dívidas e obrigações primeiro, que ninguém mas paga ou mas perdoa.
O resto do mundo, pode muito bem esperar!

sábado, 24 de Abril de 2010

Memórias às Quintas - Afinal existe!

A música do trá-lá-lá!

Memórias às Quintas

Agora sai tudo de rajada...
Edição especial Hallelujah_

Leonard Cohen


Jeff Buckley


Allison Crowe


Sheryl Crow

Memórias às Quintas

Antes de mais, as minhas desculpas pela falta de tempo para aqui postar regularmente as memórias.
Hoje deixo-vos duas muito especiais:

Gerry Rafferty - Baker Street (ou aquela musica com o saxofone espectacular):


John Denver - Annie´s Song:


Letra (traduzida):
Você completa meu sentimentos
Como a noite na floresta
Como as montanhas no tempo de primavera
Como a caminhada na chuva
Como a tempestade no deserto
Como o sonolento oceano azul
Você completa meus sentimentos
Venha me completar de novo


Venha, deixe-me te amar
Me deixe dar minha vida a você
Me deixe afogar em sua risada
Me deixe morrer em seus braços
Me deixe deitar ao seu lado
Me deixe ficar sempre com você
Venha, deixe-me te amar
Venha me amar de novo


Você completa meu sentimentos
Como a noite na floresta
Como as montanhas no tempo de primavera
Como a caminhada na chuva
Como a tempestade no deserto
Como o sonolento oceano azul
Você completa meus sentimentos
Venha me completar de novo

quinta-feira, 22 de Abril de 2010

Ficar...

Ficar... consiste em nem vir nem ir...

sábado, 17 de Abril de 2010

Uma tia é "mansa", nunca "manso"!

Nova frase para a comédia nacional?
Ou nova frase legalizada para chamarmos a juízes e outras pessoas teoricamente sérias?
Afinal de contas, "merda" é uma palavra institucionalizada e que pode ser dita livremente, já que também foi usada na A.R. em pleno hemiciclo...!
É uma vergonhosa a classe política, escolhida a dedo pelo povo deste país!
Uma autêntica palhaçada, sem querer ofender os honrados profissionais do mundo do espectáculo de comédia (os verdadeiros palhaços).
Para agravar a qualidade da linguagem, apreciemos a imprecisão e estropiação da língua que deviam beijar e servir!
Assistimos a estas merdas constantemente, e ainda ninguém disse aos rapazinhos (sim, atitudes destas tinham-se aos 14 anos...) que eles não passam de nossos empregados.
Começa a ser altura de os despedir.
Não votei em nenhum deles, quanto mais dos dois, mas teoricamente e contra a minha vontade, ambos me representam bem como à minha vontade.
A minha vontade é despedi-los a todos. Importam-se de a representar?!