sábado, 19 de setembro de 2009

A realidade da realidade aumentada!

Muito se promove ultimamente um conceito de realidade chamado de Realidade Aumentada.
Nalguns aspectos pode ser relativamente útil, noutros poderemos considerar tratar-se de uma completa e absoluta invasão da privacidade, uma deturpação da realidade.
Este novo conceito, para já aplicado apenas a dispositivos móveis, consiste em utilizar a câmara para em tempo real, analisar a imagem e suportado por sistemas de GPS transmitir a nossa localização a servidores que se encarregarão de nos devolver informações variadas sobre a imagem que observamos.
É uma aplicação gira que poderão encontrar por exemplo no terraço do panteão nacional, quando apontam para o Cristo Rei com o telescópio lá existente, e no ecrã, além da imagem do monumento, surge o seu nome e informação diversa relativa ao mesmo, incluindo fotografias.
Agora, imaginem o mesmo num telemóvel. Ligam a aplicação, apontam a câmara para um restaurante e é-vos dada a ementa, o prato do dia e a disponibilidade de lugares.
"Boa", pensam vocês...
Até certo ponto sim, mas... o servidor não vos vai enviar o aspecto dos pratos do momento, o aspecto do ambiente ou das pessoas que o frequentam, nem o cheiro, enfim, uma boa série de factores que normalmente determinam se queremos ou não almoçar ali.
"E depois?" perguntam vocês? Alguns argumentarão até: "assim sabemos se havemos de lá ir ou não, e quando chegarmos à porta analisamos isso tudo" - claro que sim!!! Até é uma boa aplicação, claro!
A questão prende-se é a outro nível... Neste vídeo, um holandês resolve passear por uma rua de Amesterdão apontando o seu Samsung Galaxy i7500 às casas. Rapidamente passamos a saber quem lá mora bem como alguns dados como o valor das casas, contactos, etc... Torna-se brutalmente assustador!
E quando se acabar a bateria?